Intenção de consumo das famílias cai 3,5% em abril

 

O Índice de Consumo das Famílias (ICF) recuou 3,5% em abril e voltou à área de insatisfação ao atingir 99,8 pontos. Apesar de no contraponto anual o índice estar 7,5% e 6,9 pontos acima, o resultado mensal é determinante principalmente ao empresário do comércio, pois mostra uma disposição menor às compras, o que pode gerar impacto negativo às vendas futuras, incluindo o Dia das Mães, uma das datas comemorativas mais fortes do setor.

O ICF é apurado mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) e varia de zero a 200 pontos, dos quais abaixo de 100 pontos significa insatisfação, e acima de 100, satisfação em relação às condições de consumo.

Dos 7 itens analisados, 6 sofreram retração, sendo o destaque Momento para Duráveis (- 9,3%), que passou de 81,8 pontos em março para 74,2 pontos em abril, o que significa que para 58,6% das famílias paulistas é um mau momento para compras de itens de maior valor e que necessitam de financiamento com cartão de crédito, carnês e outras modalidades de pagamento a longo e médio prazo.

Na segmentação por renda, o item Momento para Duráveis ficou praticamente estagnado (0,4%) na faixa de consumidores que recebem mais de 10 salários-mínimos (SM).

O recuo maior (-13,6%) foi entre os que ganham menos de 10 SM e, de acordo com a assessoria econômica da Federação, também deve interferir nos pequenos negócios, por isso o empresário deve se atentar aos índices dessa faixa de renda. Além de veículos e eletrodomésticos, a categoria Momento para Duráveis inclui objetos menores vendidos em lojas de materiais de construção e de eletrônicos, por exemplo.

A sugestão da Entidade é que o comerciante amplie as opções de pagamentos como boleto e parcelamento no carnê, na tentativa de atrair novamente o cliente.

No índice geral, Perspectiva de Consumo registrou a segunda maior queda (-7%) e passou de 112,1 pontos em março para os atuais 96,5 pontos. Já o item Acesso ao Crédito recuou 2,5% e atingiu 94 pontos em abril, antes os 101,9 pontos do mês anterior.

Esses números mostram que 33% dos entrevistados afirmam que os gastos nos próximos meses tendem a ser menores do que há um ano, e também que existe uma piora relativa na facilidade de contrair crédito para compras a prazo.

 

Fonte: Assessoria de imprensa FecomercioSP/ crédito da foto: reprodução da internet

Voltar para listagem de notícias