Comércio eletrônico deixou de faturar mais de R$ 400 milhões com greve dos caminhoneiros

 

O comércio eletrônico brasileiro deixou de faturar R$ 407,2 milhões durante 11 dias de paralisação dos caminhoneiros, segundo levantamento da Ebit, empresa de informações sobre e-commerce, divulgado nesta segunda-feira.

A estimativa é que 861.710 pedidos deixaram de ser feitos pelos consumidores durante a greve dos caminhoneiros, uma queda média diária de 20% nas vendas quando comparado com os mesmos dias das semanas anteriores à paralisação, disse a Ebit.

O comércio eletrônico encerrou maio com crescimento nominal do faturamento de 10% ante o mesmo mês do ano passado, metade do previsto inicialmente e um pouco inferior à estimativa ajustada nos primeiros dias de greve.

Há pouco mais de uma semana, a Ebit informou que a previsão de crescimento do faturamento do comércio eletrônico do país em maio havia caído para 13,3% ante 20,7% inicialmente, devido à paralisação dos caminhoneiros.

Segundo a Ebit, além do Dia das Mães, principal data do calendário do varejo eletrônico no primeiro semestre, que registrou alta nominal de 12% em relação ao ano passado, as vendas no comércio eletrônico estavam aquecidas também pela proximidade da Copa.

O período costuma ser favorável para as vendas de TVs, que possuem tíquete médio mais alto, o que tem impacto positivo no faturamento do setor. Com a greve, no entanto, o consumidor ficou com receio de comprar e não ter a certeza quando receberia a encomenda e esta incerteza, segundo Dias, levou a retração nas vendas.

Fonte: https://g1.globo.com/economia /crédito da foto: reprodução da internet

Voltar para listagem de notícias