ERROS E ACERTOS DA PREFEITURA

ACERTOU (para o comércio em geral)

1) Abertura das lojas de materiais de construção;

2) Fim da proibição de venda à granel;

3) Dois dias de prazo para as empresas se adequarem;

ERROU (para os supermercados)

1) Fixar as 2 primeiras horas para o atendimento exclusivo de idosos:
- É um contrassenso, já que estão no grupo de risco. Lugar de idoso é em casa. O certo seria incentivar um familiar, vizinho, amigo ou até mesmo voluntário mais jovem a fazer as compras em seu lugar.
- Para que incentivá-los a ir ao supermercado?
- Neste horário, o supermercado terá que impedir a entrada de não idosos, pedindo a apresentação de documentos para quase todas as pessoas.
- Os clientes não atendidos neste horário ficarão aguardando a liberação e vão aumentar a aglomeração no restante do dia.
- Se o supermercado antecipar a abertura, não há transporte coletivo para seus funcionários no horário necessário.

2) Proibida a entrada de mais de um cliente adulto por família: novamente terá que pedir documento cada vez que entrarem duas pessoas, mesmo que tenham se encontrado na porta do estabelecimento, e, também, pedir documento para qualquer casal que esteja conversando dentro do supermercado;

3) Responsabilizar a empresa pelo que ocorre na calçada e na rua em frente à loja: aglomeração, fila para entrada, etc;

4) O comerciante responderá por medidas cíveis e criminais, sendo mais uma vez tratado como bandido, com mais ameaças de fechamento das empresas.

Como vemos, para a Prefeitura é “uma martelada no cravo e duas na ferradura”. Mais uma vez, não corrigiu e repetiu a maioria dos erros do decreto anterior.

A Prefeitura insiste em tratar os supermercados como inimigos, quando sabemos que na verdade são parceiros na luta contra a Covid-19.

O Sincomércio está atento na defesa do comércio de Bauru.